Cuide bem do seu segundo cérebro

Cuide bem do seu segundo cérebro - Eu Tenho Saúde

Cuide bem do seu segundo cérebro. Extamente isso, e quem foi que disse que nós temos dois cérebros? Pois é, você tem dois cérebros mesmo, no entanto, quando se faz essa afirmação, nem todo mundo entende que estamos falando do nosso intestino. O que acontece no nosso intestino influi diretamente no nosso bem-estar geral, muito, mas muito mais do que se imagina.

Entendendo melhor o segundo cérebro

O intestino é considerado o segundo cérebro por muitos motivos que muita gente até desconhece; na Medicina Tradicional Chinesa (MTC) há muito séculos já vê o intestino com outro olhar e mantê-lo saudável é sinal de boa saúde, pois, dependendo do estado que se encontra este órgão, a pessoa pode a vir a desenvolver doenças neurológicas como a hemiplegia, por exemplo. O nosso intestino é composto por cerca de quinhentos milhões de neurônios, isso mesmo! Quinhentos milhões de neurônios, essa quantidade é suficiente para ser um sistema nervoso próprio, pois, dessa forma o intestino é capaz de coordenar certas funções como a de liberar o bolo fecal ou liberar substâncias que auxiliam na digestão, essas e outras funções ele realiza de maneira independente do cérebro humano. A produção da serotonina no corpo humano é processada em sua maioria pelo nosso intestino, cerca de noventa por cento desse neurotransmissor é produzido nele; então, o nosso intestino conversa com o nosso cérebro, e essa conversa ocorre através de um nervo chamado vago ou como é mais bem conhecido, nervo vago. Esta estrutura passa pelo tórax ligando o sistema gastrointestinal a nossa cabeça, por isso, em certas situações de estresse podemos sentir dores de barriga por exemplo.

A microbiota, o que tem nela?

O nosso amigo intestino ainda é povoado por micro-organismos, chegando a ter mais de trezentas espécies, essa população é conhecida como microbiota, essas bactérias moram no nosso intestino por causa da quantidade de alimentos que encontram por lá e apesar de comerem por ali, ainda ajudam na digestão dos alimentos e também podem influenciar diretamente o funcionamento do corpo humano. Há estudos que indicam que a ansiedade pode estar associada a certos tipos de bactérias que podem estar presente no intestino, a Universidade de Macbaster, no Canadá, fez uma pesquisa muito interessante em ratos; a experiência consistia em coletar bactérias que estavam presentes em ratos ansiosos e depois as enxertaram em outros ratos mais calmos, a surpresa que tiveram é que as bactérias dos ratos ansiosos mataram as bactérias lactobacillus e as bifidobacterium que estavam presentes no intestinos dos ratos calmos e eles passaram a ser tão ansiosos quanto os outros. Nos seres humanos há indícios que as coisas funcionem da mesma forma, como perceberam os pesquisadores da Universidade de Oxford, que utilizaram em suas pesquisas um carboidrato chamado Galactooligossacarídeo (GOS), que é o alimento preferido das bactérias lactobacillus e a bifidobacterium, o resultado foi impressionante, os níveis de cortisol baixaram cerca de cinquenta por cento e ainda em testes psicológicos, as pessoas que participaram desta pesquisa, apresentaram respostas mais otimistas e estavam com menos ansiedade. Então, é evidente que o intestino influencia a nossa saúde de várias formas, e o que comemos e o que sentimos estão ligados a ele também, e por isso merece o nosso cuidado e atenção.

A influência da comida no intestino

O nosso intestino (segundo cérebro) pode ser influenciado diretamente pelo que comemos, e se ele não funciona de maneira correta ou pelo menos perto da normalidade, a nossa saúde pode estar comprometida de alguma forma; precisamos aprender a comer comida saudável que ajude o nosso organismo a funcionar melhor e dessa forma ter uma qualidade de vida bem melhor. A diversidade de nossa alimentação está diretamente ligada à diversidade de microbiotas que temos no nosso intestino, pois, vão influenciar a absorção de certos nutrientes dos alimentos que ingerimos; se temos um microbioma rico e variado teremos uma saúde intestinal bem maior. No nosso corre-corre, no estresse da vida moderna, as vinte quatro horas que por vezes, acabam sendo poucas pelo excesso de atividade que vivemos, com certeza, a comida que comemos pode não ter a qualidade que precisam ter; comer alimentos ricos em glúten, lactose, ou com algum tipo de proteína no leite, por exemplo, podem desencadear certos tipos de as alergias e intolerâncias que acometem muitas pessoas no mundo inteiro. Então a melhor forma de proteger o nosso segundo cérebro é ter certos cuidados para protegê-lo como ter uma dieta diversificada, que melhora o microbioma intestinal; reduzindo os níveis de estresse; evitar bebidas alcoólicas, a cafeína em excesso e as comidas muito apimentadas; ter boas horas de sono. Esses cuidados podem nos ajudar a dar uma “vida melhor” para nosso intestino, não se esqueça de ingerir bastante água (pelo menos um litro e meio por dia), fibras, frutas e hortaliças; e não menos importante, a atividade física;  caso você já esteja passando por algum problema de saúde que esteja afetando a sua saúde, não hesite e procure ajuda, ou até mesmo quer manter uma boa saúde, as terapias naturais podem te ajudar nessa jornada, são muitas as terapias disponíveis que podem nos ajudar como a Fitoterapia, Trofoterapia, IridologiaHomeopatia, Florais, Ortomolecular e por aí vai, então mãos a obra e cuide melhor da sua saúde.

Nossos Posts

Conheça nossa loja virtual

Menu